Tags

, , , , , ,

É de se admirar a programação relacionada ao cinema que o Museu da Imagem e do Som (MIS) vem oferecendo recentemente. Depois de alguns meses em cartaz, a mostra sobre o francês Georges Méliès se encerra neste domingo, mas logo dará lugar a um evento igualmente relevante. O museu anunciou que trará uma maratona de filmes de Paul Schrader na próxima semana e, melhor ainda, que o cineasta e roteirista estará em São Paulo para dar uma palestra (no dia 18) e uma aula magna (no dia 21) que serão gratuitas ao público.

Schrader, que está com 66 anos, foi criado em uma família calvinista ultraconservadora na qual era estritamente proibida a audiência de filmes, considerados produtos “satânicos”. Dessa forma, ele só entrou em contato com o cinema perto da idade adulta, quando se apaixonou irremediavelmente pela Sétima Arte. Por coincidência, o seu primeiro sucesso na indústria cinematográfica se deu quando encontrou outra pessoa profundamente influenciada pela religião na infância: o católico descendente de italianos Martin Scorsese.

Escrito, segundo Paul, em apenas dez dias, em um momento de crise pessoal, Taxi Driver não poderia ser entregue em melhores mãos do que nas de Scorsese, que já tinha mostrado talento nos seus filmes anteriores (principalmente em Caminhos Perigosos e Alice Não Mora Mais Aqui). A história do veterano de guerra Travis Bickle (Robert De Niro, brilhante) que vaga pelas ruas de Nova York em seu táxi querendo exterminar a “sujeira” das ruas é até hoje um dos principais filmes sobre a solidão contemporânea já realizados. Com ela, Scorsese fez a sua primeira obra-prima, enquanto Schrader se consolidou como um grande roteirista.

A parceria entre a dupla ainda resultaria em outros três filmes: Touro Indomável (outra obra-prima de Scorsese, também com Robert De Niro), A Última Tentação de Cristo e Vivendo no Limite, mas a carreira de Schrader não se resume a essas obras. Já em 1978 ele dirigiu o seu primeiro filme, Vivendo na Corda Bamba, e desde então já foi o diretor de outras 15 produções.

Apesar de nunca ter obtido como diretor o mesmo reconhecimento que teve como roteirista, Schrader possui uma importância inquestionável para o cinema americano nos anos 70 e 80, e a revisão de sua obra, que ainda está em curso – ele está preparando um novo filme como diretor – é mais do que bem-vinda.

Roteiro de Taxi Driver impulsionou a carreira de Paul Schrader

Confira a programação completa da Maratona Paul Schrader no MIS (Avenida Europa, 158 – Jardim Europa):

18/09 – Terça-feira:
19h – Marca da Pantera 118´/ Cat People (1982) (Paul Schrader0
21h – Palestra gratuita com Paul Schrader

19/09 – Quarta-feira:
18h – Adam – Memórias de uma guerra 106´/ Adam Resurrected (2008) (Paul Schrader)
20h – Vivendo no Limite 121´/ Bringing Out the Dead (1999) (M. Scorsese)

21/09 – Sexta-feira:
15h – Aula Magna com Paul Schrader
18h – O Acompanhante 107´ (2007) (Paul Schrader)

22/09 – Sábado:
16h – Operação Yakuza 123´/ The Yakuza (1975) (S. Pollack)
18h – Gigolô Americano 117´/ American Gigolo (1980) (Paul Schrader)
20h – Taxi Driver 113´/ Taxi Driver (1976) (M. Scorsese)

23/09 – Domingo:
16h – Auto Focus 105´/ Auto Focus (2002) (Paul Schrader)
18h – Trágica Obsessão 98´/ Obsession (1976) (B. de Palma)
20h – Touro Indomável 129´/ Raging Bull (1980) (M. Scorsese)

Obs: Palestra e Aula Magna: gratuitas; filmes: R$ 4 a inteira

Anúncios